Tecnologia e Métodos de Gestão de Pessoas

10 ações para criar a cultura do feedback na empresa

Cultura do feedback
Tempo de leitura 6 min

Criar a cultura do feedback não é uma coisa simples! Mesmo que todos concordem que o feedback seja uma prática muito importante.

Na verdade, o feedback é um dos principais instrumentos de gestão de pessoas. Isso porque, através do feedback as empresas podem promover o desenvolvimento e a alta performance dos colaboradores. Por isso, é uma das principais atividades das lideranças. Mas, apesar disso, o feedback ainda não é uma prática comum em muitas organizações.

De fato, a prática do feedback é uma questão de hábito, de cultura organizacional. Nesse sentido, desenvolver a cultura do feedback é um dos principais desafios do RH.

Quando a empresa desenvolve essa cultura, dar e solicitar feedback passa a ser uma prática natural e cotidiana.

No entanto, o feedback não incorpora a cultura da noite para o dia. A empresa e o RH precisam adotar ações e criar estímulos para que isso aconteça.

Se você enfrenta esse desafio, leia este conteúdo até o fim. Ele vai te ajudar a superar esse desafio!

E vamos às 10 ações!

1)  Incluir o feedback nas políticas e procedimentos de gestão de pessoas.

Quando o feedback consta nas políticas de gestão de pessoas, ele ganha peso e legitimidade. O procedimento de desligamento, por exemplo, pode ter como regra pelo menos 3 feedbacks antes de decidir pela demissão de alguém.

O feedback deve fazer parte do processo de onboarding de novos colaboradores Por exemplo, durante o período de experiência o colaborador deve receber um feedback formal.

Outro exemplo é considerar o feedback na política de desenvolvimento. Nesse sentido, o feedback pode ser uma etapa dos processos de onboarding, ou integração.  de novos de integração.

2) Incluir a atividade de dar feedback na descrição de cargos de liderança

Dar feedbacks e orientar os liderados é uma atividade que precisa estar explícita na descrição dos cargos de liderança. Desde o início os líderes precisam entender que isso faz parte do seu papel, da sua função na gestão de uma equipe. Inserir o feedback na descrição de cargos oficializa essa prática.

3) Criar modelo e exemplos de feedbacks

Principalmente no começo, é muito importante facilitar o trabalho das lideranças com um b-a-bá,  ou um passo a passo. Nesse sentido, criar modelos, roteiros e exemplos de feedback ajudam muito.

Modelos e exemplos orientam as lideranças, ajudam a desenvolver a compreensão e a evitar erros.

4) Fazer campanhas de conscientização da liderança

Vale muito à pena desenvolver campanhas de conscientização das lideranças. Essas campanhas devem esclarecer que os líderes podem ganhar ao praticar feedbacks bem estruturados. Eles promovem o desenvolvimento e a melhoria contínua do desempenho da equipe liderada.

Nessas campanhas transmita, sobretudo, a ideia de que que o desempenho do líder é o reflexo do desempenho do time. Isto é, se o time ganha ou perde, a responsabilidade é do líder.

5) Incluir o recebimento de feedback na pesquisa de clima

Considerar o recebimento de feedback no questionário da pesquisa de clima organizacional é outra ação que costuma ajudar.

Geralmente, as pesquisas de clima têm uma seção de questões sobre como as pessoas percebem o estilo da liderança. Inclua nessa seção uma questão sobre o feedback. Por exemplo: “Eu recebo meu gestor feedbacks que orientam meu desempenho e meu desenvolvimento”.

Depois disso, divulgue os resultados da pesquisa, enfatizando o resultado da questão dos feedbacks. O índice de satisfação dos colaboradores pode ser utilizado para estimular as lideranças.

6) Definir uma periodicidade e incluir na rotina do líder

A dinâmica do dia a dia costuma absorver a maior parte das pessoas. E não é diferente com as lideranças! Por isso, estabelecer uma periodicidade e incluir o feedback na rotina do líder ajuda muito! Por exemplo: cada líder deve dar pelo menos um feedback por mês, para cada liderado.

Nesse sentido, o uso da tecnologia faz toda a diferença. Ou seja, contar com uma ferramenta de gestão de feedback torna tudo mais fácil. Isso, com certeza, ajudará, tanto o RH quanto a liderança, na manutenção de uma rotina de feedbacks.

7) Considerar o feedback como item da avaliação do desempenho dos líderes

Isso costuma dar um impulso importante ao processo de feedback. Quando você define uma medida de desempenho como parâmetro, essa definição, por si só, chama a atenção e estimula as pessoas a melhorar, só de saber que vão ser avaliadas por isso.

Só para exemplificar, você pode considerar como indicadores de desempenho da liderança:

1) O índice de favorabilidade da pesquisa de clima na questão do feedback.

2) O cumprimento da meta de pelo menos um feedback por mês por liderado.

8) Criar ações de estímulo e recompensa

Ações de estímulo e recompensa estimulam o alcance de metas e objetivos. Elas contribuem, igualmente, quando o objetivo é desenvolver cultura.

Nesse sentido, é preciso dar visibilidade aos líderes que praticam o feedback no dia a dia com a sua equipe. Isto é, valorize e dê destaque para essas lideranças. Assim, elas vão figurar como exemplos a serem seguidos.

Aqui a remuneração estratégica pode ser considerada. Na verdade, isso pode inclusive ser um dos critérios para programas de bônus e participação nos resultados para as lideranças.

https://materiais.cohros.com.br/e-book-remuneracao-estrategica

9) Fazer campanhas de feedbacks positivos

Realizar campanhas que coloquem um tema no centro das atenções é uma das formas de estimular as pessoas. Principalmente quando o assunto é desenvolver hábitos e cultura.

Crie, por exemplo, a semana do feedback positivo. Durante essa semana cada colaborador deve dar um feeddback de elogio para pelo menos um colega.

Conectar o feedback a coisas positivas, sem dúvida, ameniza o caráter de crítica constantemente associado ao feedback. Dessa forma, esse tipo de campanha ajuda na quebra de barreiras e facilita a criação da cultura.

10) Adotar uma ferramenta de gestão de feedbacks

Definitivamente, a tecnologia é uma grande aliada do RH no estímulo à prática do feedback.

Contar com uma boa ferramenta de gestão de feedback conta muito! Isso porque o RH poderá acompanhar o processo de feedback e garantir que ele aconteça na prática.

Além disso, através do monitoramento do processo, o RH pode analisar a efetividade das ações. Assim é possível, por exemplo, avaliar se os estímulos e recompensas para criação da cultura do feedback estão surtindo efeito.

Conclusão

Essas ações sugeridas para estimular a prática e criar a cultura do feedback são apenas alguns exemplos. Na verdade, com criatividade você poderá encontrar outras formas de promover esse estímulo.

No entanto, tem um ponto importante a considerar! Para que você possa, de fato, desenvolver a cultura, não basta adotar uma ou outra ação. É preciso adotar um conjunto de ações para que os efeitos desejados aconteçam.

O que você achou dessas ações? Gostou? Qual delas você acha que caberia na realidade da sua empresa?

Se você tiver alguma outra ideia, ou tiver implantado alguma ação diferente que tenha dado resultado, compartilha aqui com a gente.

Assista também o vídeo: 10 ações para estimular o hábito e a cultura do feedback

Denise Lustri – CEO da Cohros

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on whatsapp
Share on email